quarta-feira, 7 de março de 2018

A nossa viagem do verão passado começou exactamente em Praga. E tal como de Viena, começo agora a mostrar-vos algumas das fotos que tiramos...

PRAGA, A PÉROLA DO ORIENTE

Sem comentários:
 
A nossa viagem do verão passado começou exactamente em Praga. E tal como de Viena, começo agora a mostrar-vos algumas das fotos que tiramos.

Viajamos do Porto até Milão, onde fizemos escala e, posteriormente, apanhamos um voo para Praga. Chegados à cidade, estávamos exaustos, a primeira coisa que fizemos foi ir ao hotel (irei falar-vos dele depois) e descansar um pouco.
Já para o final da tarde saímos do hotel e começamos a visita à cidade, mas de forma muito moderada. Apenas passamos pela Praça Venceslau, pela Praça da Cidade Velha e pela Porta da Pólvora. Depois fomos jantar e descansar porque o dia seguinte ia ser bem corrido.

Praça Venceslau

Igreja de Nossa Senhora de Týn - Praça da Cidade Velha

Relógio Astronómico

Para o segundo dia tínhamos reservado um grande passei. Depois do pequeno almoço apanhamos o metro até à zona do Castelo de Praga. Por aí visitamos o Castelo, a Catedral de S. Vito, a Igreja de S. Nicolau e o Menino Jesus de Praga. 
Resolvemos percorrer Praga a pé, ao nosso ritmo, sem stresses e dessa forma absorvemos melhor a cidade.
Ainda da parte da manha, passamos no Muro de Lennon (homenagem a John Lennon), fomos ao museu Franz Kafka, fomos ver a rua mais estreita do mundo (uma rua para peões, mas que por ser tão estreita tem semáforos) e almoçamos no parque Kampa com uma bela vista para o rio. 
Para almoçar, e porque já não era nada cedo, optamos por comprar umas sandes numa padaria e fruta fresca num mercado. 


Catedral de S. Vito

Catedral de S. Vito

Vista sobre Praga

Vista sobre Praga

Menino Jesus de Praga

Muro de Lennon

Museu Franz Kafka

Eu, na rua mais estreita do mundo. Reparem no semáforo

Almoçamos no parque Kampa com esta vista incrível

Os bebés gigantes do parque Kampa

Depois de almoço, atravessamos a Ponte Carlos que estava banhada por um mar de gente. Aproveitamos para sentar depois de atravessar a ponte e ali estivemos a ver todo aquele burburinho de pessoas. É tão bom parar e observar tudo o que se passa à nossa volta. 
Depois caminhamos calmamente até à Praça da Cidade Velha onde aguardamos pelo "espetáculo" do Relógio Astronómico (o relógio é muito bonito mas não vale a pena estar à espera das horas certas). 
Ali na praça, aproveitamos para visitar o interior da Igreja de Nossa Senhora de Týn e fomos ainda ao Bairro Judeu.

Uma das estátuas da ponte Carlos.

Reza a lenda que se tocarmos no cão iremos ter sorte. Pois foi isso que fizemos.

Vista da ponte Carlos.

Vista sobre o rio antes de entrarmos na ponte.

Praça da Cidade Velha

Trdelník, o pão-doce maravilhoso de Praga. Não deixem de experimentar, com chocolate é uma delícia!

No terceiro dia, antes do check-in e de apanharmos o comboio para Viena, houve ainda tempo para vermos a Casa Dançante e um pequeno passeio à beira rio. E assim nos despedimos da bela mas misteriosa cidade de Praga. 

A Casa Dançante.

Um pequeno passeio pelas margens do rio.

Faltam-me adjectivos para descrever a beleza e a energia desta cidade, mas a verdade é que voltava já hoje.

Espero que tenham gostado, fica prometido mais artigos sobre a cidade. E se ainda não o fizeram, visitem o que partilhei sobre Viena, AQUI e AQUI.

Sem comentários:

Enviar um comentário